Alerta PREVINORTE

À beira do colapso energético, o Brasil enfrenta a pior crise hidrelétrica dos últimos 91 anos.

A seca sem precedentes, reduziu a 70% os reservatórios do Centro-Oeste e Sul do país, os maiores que possuímos.

Insustentável, a situação passou a ser prioridade para o Governo Federal e para os ambientalistas que, juntos, emitiram um alerta: todos os setores públicos e privados devem providenciar “esforço urgente” para tentar controlar e mitigar a crise hidrelétrica que assola o Brasil.

A economia de energia pode refletir retorno financeiro às famílias e comércios

Na tentativa de estimular os consumidores a economizarem energia, o Ministério de Minas e Energia, em parceria com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), criou um programa de premiação para quem conseguir economizar 15% de energia de setembro a dezembro deste ano.

Válido para pequenos comércios, residências e estabelecimentos comerciais, o projeto vai contemplar com R$ 50, reduzidos das contas de luz, cada 100 kWh economizados.

Restrito a até 20% de economia, o programa prevê que, a cada kWh economizados, o consumidor reduzirá R$ 0,50 em sua conta mensal.

O comparativo do cálculo é realizado em relação às contas dos mesmos meses no ano de 2020.

Desde o começo de setembro, os brasileiros sentem no bolso os agravamentos ambientais. Na bandeira tarifária vermelha, o consumidor pagará ainda mais caro pela energia elétrica.

Além das contas de luz, é importante mencionar que a seca intensa pressiona a inflação e, consequentemente, encarece o preço dos alimentos e da gasolina, afora a questão ambiental emergente: precisamos da água para a sobrevivência na terra.

De acordo com informações do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), atualmente, o Brasil enfrenta uma queda histórica nos níveis dos reservatórios, chegando à criticidade de apenas 23% das faixas de reserva.

Para atravessarmos este momento crítico, o empenho é fundamental. Precisamos todos fazer nossa parte através do consumo consciente.

Confira os aparelhos que mais consomem energia e comece a poupar:

Ar Condicionado

Considerado um dos grandes vilões na conta de energia, o ideal é que a instalação seja feita em local arejado e com boa circulação de ar. Quanto à temperatura, regule-a em cerca de 23 graus, evitando o frio excessivo. Quanto mais frio, maior o consumo de energia.

Geladeira

O ideal é procurar as que possuem selo Procel e evitar abrir e fechar a porta a todo instante. Verifique o estado das borrachas de vedação constantemente e evite guardar alimentos quentes na geladeira.

Chuveiro

O ideal é ligar o chuveiro quando a maioria dos aparelhos estiver desligado para não sobrecarregar a rede elétrica. Além disso, é importante lembrar de economizar água, já que a crise no setor elétrico foi desencadeada pela crise hídrica.

Ferro elétrico

Pode representar até 7% do valor da conta de energia. A recomendação é acumular o máximo de roupas antes de passar para usar o aparelho com mais eficiência.

Televisão

Elas parecem inofensivas, mas podem representar, em média, até 15% do valor da conta de luz. Por isso, o ideal é não a deixar ligada se não houver alguém assistindo.

Iluminação

As lâmpadas devem ser as mais econômicas, portanto a recomendação é usar as de LED. Evite acender lâmpadas durante o dia e aproveite a luz natural.

Economizar a água e a energia reduz seus gastos mensais e é, ainda, uma forma de colaborar na preservação do meio ambiente.

Faça a sua parte!

 

Tags: alerta socioambiental crise energética